Ir para o conteúdo
Motivos Para Contratar Planos Odontológicos Saúde Bucal

5 Curiosidades sobre clareamento dental

Leitura: 10 min
477 visualizações

Você sabia que existem diferentes tipos de clareamento dental, embora eles tenham o mesmo objetivo? A ideia é alcançar uma tonalidade mais clara para o esmalte. Para isso, a técnica aplicada pode ser diferente, atendendo a necessidades distintas.

Esse tratamento é a solução para quem deseja remover manchas ou deixar os dentes ainda mais claros, eliminando o amarelamento. Atualmente, é muito fácil fazer esse procedimento, em especial para aqueles que contam com planos odontológicos. Mesmo assim, muita gente ainda tem dúvidas sobre como ele funciona.

Pensando nisso, preparamos este artigo para apresentar 5 fatos curiosos sobre o clareamento dental e os seus diferentes tipos, além das indicações de cada um deles. Continue lendo e descubra como esse tratamento pode deixar seu sorriso ainda mais bonito!

1. Clareamento dental não muda a cor dos dentes

Esse é um ponto importante, que costuma causar confusão para muitos pacientes. O clareamento dental faz exatamente o que diz o nome: deixa os dentes mais claros. No entanto, é preciso compreender que ele não muda a cor do esmalte.

Existem diferentes tonalidades naturais da dentição humana. Isso significa que, se o dente for cinza, ele ficará cinza claro, não branco. Da mesma forma, se o dente for amarelado, ele ficará um amarelo bem mais claro, mas ainda assim não será branco. Agora, se seus dentes forem brancos, eles sairão do procedimento muito mais claros.

2. Existem diferentes tipos de clareamento dental

Os problemas que afetam a tonalidade dos dentes não são iguais para todas as pessoas, exigindo intervenções distintas. Por isso, existem diferentes tipos de clareamento dental e todos eles devem ser realizados sob a supervisão do dentista. Caso contrário, pode haver danos à saúde ou resultar em uma coloração artificial. Confira quais são esses tipos!

Clareamento caseiro

O clareamento dental pode ser feito em casa, desde que o paciente passe por uma consulta com o dentista para receber todas as instruções. Portanto, embora seja caseiro, esse tratamento é supervisionado.

Para realizá-lo, primeiro o paciente passa por uma avaliação e é confeccionada uma moldeira de silicone, dispositivo semelhante às placas miorrelaxantes utilizadas para tratar o bruxismo. Ela precisa ser feita sob medida, de acordo com um molde obtido da arcada dentária do paciente.

Isso é fundamental porque a peça deve se encaixar com perfeição nos dentes para que não gere força sobre eles, nem sobrecarga nas estruturas bucais e faciais. Então, o tratamento inicia com a confecção dessa moldeira personalizada.

Depois de pronta, o dentista dá as devidas instruções para o paciente, explicando como o gel clareador deve ser aplicado à moldeira, a quantidade adequada e o tempo mínimo e máximo de utilização dela por dia. Essas recomendações precisam ser seguidas à risca, a fim de evitar danos à saúde bucal e alcançar os resultados esperados.

Geralmente, o gel é aplicado durante o sono e o tratamento deve durar no máximo 21 dias. Nesse sistema, o processo de clareamento é gradual, ou seja, as mudanças acontecem aos poucos. É uma boa alternativa para quem prefere fazer o tratamento no conforto da sua casa ou não dispõe de tempo para as sessões no consultório.

Clareamento de consultório

Nesse caso, o tratamento é feito no consultório do dentista, não é necessário confeccionar moldeiras e o paciente passa por cerca de uma a quatro sessões. Elas têm duração média de uma hora e meia e precisam de um intervalo mínimo de dois dias entre cada uma, sendo melhor optar por consultas semanais.

Os resultados podem ser percebidos já na primeira sessão e ficam cada vez melhores, conforme se aproxima o fim do tratamento. Por isso, a técnica é indicada para quem tem um pouco mais de pressa em ver os dentes mais claros. Existem diferentes tipos de clareamento dental que podem ser feitos no consultório. Veja.

Com laser

O clareamento dental feito com laser é a técnica mais conhecida. Na sessão, o especialista protege as mucosas bucais para evitar lesões e aplica um produto que previne a sensibilidade dentinária. Em seguida, faz a aplicação do gel clareador, geralmente à base de peróxido de hidrogênio ou de carbamida.

O produto em si promove os resultados esperados. No entanto, nessa técnica, o dentista direciona o laser sobre a dentição, com o intuito de potencializar a ação do produto clareador, acelerando os resultados.

Com LED

A técnica de clareamento com LED funciona da mesma forma que o laser. A preparação do paciente e os tipos de produto são iguais. No entanto, optamos por luzes de LED para potencializar a ação clareadora. É uma técnica segura e menos agressiva do que a anterior. Mas existem casos em que o profissional combina as duas.

Convencional

Nesse tipo de clareamento, não são utilizadas luzes. O clareamento é promovido exclusivamente pelo produto aplicado, mas para que se possa alcançar resultados melhores, a dosagem do gel é mais alta. Como não fazemos a potencialização do produto, a duração da sessão pode ser maior.

Clareamento interno

De todos os tipos de clareamento dental, esse é aquele que funciona de uma forma totalmente diferente dos demais. Ele não é indicado para tratar a superfície do dente, mas sim as suas estruturas internas.

É uma alternativa para quem deseja obter uma tonalidade mais clara para dentes específicos que sofreram algum tipo de problema, como uma hemorragia, ou foram submetidos ao tratamento de canal. Nesse caso, o produto atua na parte de dentro dele.

Esse tratamento é indicado para realizar intervenções em apenas um dente ou em mais de um. No entanto, sem trabalhar toda a arcada dentária, como acontece nas demais técnicas. Sendo assim, fazemos correções pontuais para alcançar uma tonalidade homogênea.

O clareamento interno consiste em fazer um pequeno orifício no esmalte dentário. Por meio dele, o especialista insere o clareador. Em seguida, faz um tipo de curativo para evitar que o produto escoe ou haja alguma contaminação.

O produto ficará agindo durante alguns dias. Depois, o paciente deve retornar ao consultório para que sejam observados os resultados alcançados. Se necessário, é feita uma nova aplicação e pode ser utilizada a luz LED ou o laser para potencializar a ação do clareador.

3. Alguns alimentos são proibidos durante o tratamento

Na verdade, não existem proibições, pois o paciente tem liberdade sobre suas próprias ações. No entanto, é importante estar consciente de que alguns alimentos são muito prejudiciais durante o tratamento. Isso porque os dentes ficam mais permeáveis e, portanto, suscetíveis a manchas.

Sendo assim, para que se alcance bons resultados e não ocorram problemas, é essencial evitar alimentos e bebidas que contêm pigmentos. O ideal é não consumi-los durante o clareamento dental, seja feito em casa, seja no consultório. Alguns que devem ter a ingestão reduzida ao máximo são:

  • café;
  • beterraba;
  • vinho tinto;
  • chás;
  • suco de uva;
  • refrigerantes à base de cola;
  • molho de soja;
  • açaí.

É importante, se for o caso, que a pessoa pare de fumar pelo menos durante o período de tratamento. Isso também evitará manchas e ainda é uma proteção a mais para a saúde bucal, evitando a ação das toxinas do tabaco.

4. O clareamento pode durar até três anos

É verdade que nenhum dos tipos de clareamento dental promete resultados para toda a vida. Isso porque existe uma tendência natural de os dentes escurecerem outra vez. Portanto, o procedimento deve ser realizado periodicamente e pode ser repetido sem problemas, quantas vezes quiser.

Ainda assim, a sua durabilidade é muito extensa. Isso porque o efeito do clareamento dental pode durar até três anos, dependendo dos cuidados de cada pessoa. O tratamento dura mais em quem evita alimentos com corantes, não fuma, mantém uma higiene bucal adequada e vai ao dentista regularmente.

5. O clareamento dental tem algumas contraindicações

Embora o clareamento dental seja seguro e não invasivo, há casos em que o procedimento é contraindicado. Ele não pode ser feito em menores de 15 anos, gestantes, pessoas com cáries ou com restaurações irregulares.

Também precisa ser realizado com muita cautela em pessoas que já apresentam sensibilidade dentinária ou que estão com quadros de retração gengival. Portanto, é essencial passar por uma consulta com um excelente especialista para que ele analise se o tratamento é viável.

Os benefícios desse tratamento vão além da estética. Um sorriso bonito tem reflexos diretos na autoestima e no bem-estar, tornando a pessoa mais segura de si e colaborando com a inclusão social. Como existem diferentes tipos de clareamento dental, com certeza um deles é ideal para você, mas não se esqueça de contar com um bom dentista!

Sabia que um bom plano odontológico cobre esse tipo de tratamento? Veja de que outras formas ele pode ajudar você a viver ainda melhor, com saúde e mais auto estima!

Entenda Qual é O Melhor Plano Odontológico Para VocêPowered by Rock Convert

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: