Ir para o conteúdo
Motivos Para Contratar Planos Odontológicos

Cobertura dos planos odontológicos para leigos

Leitura: 9 min
815 visualizações

Apenas entre 2016 e 2018, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) registrou um acréscimo de mais de 2,7 milhões de planos odontológicos no país. Grande parte de todo esse sucesso se deve à cobertura do plano odontológico prestada pelas operadoras.

Hoje, o rol de procedimentos mínimos determinado pela ANS é bem amplo. No entanto, há planos odontológicos que adicionam muitos extras como diferenciais. O resultado é um valor bastante competitivo para um atendimento de qualidade, que custaria uma verdadeira fortuna se fosse particular.

Para se ter uma ideia, um levantamento do IBGE mostra que 11% dos brasileiros nunca foram ao dentista. Esse quadro começa a mudar com a popularização crescente dos planos odontológicos. No entanto, ainda há uma certa confusão com o conceito de cobertura. Veja, a seguir, como ela funciona e o que determina a lei.

O que é a cobertura do plano odontológico?

A ANS, reguladora dos planos, estipula uma cobertura mínima de eventos e procedimentos. Isso significa que, por mais básico que seja, nenhum plano odontológico pode deixar de prestar certos serviços. Há uma lista de tratamentos obrigatórios que todo plano deve cumprir de acordo com a lei. Descubra quais são eles.

Diagnóstico

É a consulta inicial, aquela em que o dentista identifica o problema, faz um prognóstico e determina o tratamento. Então, ele pode encaminhar o paciente para um especialista, dependendo do caso.

O exame histopatológico também é classificado como cobertura obrigatória dentro do processo de diagnóstico. Ele pode ser descrito como uma biópsia que identifica patologias bucais.

Urgência e emergência

São procedimentos não eletivos, ou seja, que não podem ser marcados com antecedência. É o caso de suturas, colagem de fragmentos, curativos, drenagem de abcesso, entre outros.

Exames radiológicos

Muito requisitados, os exames de raios-X odontológicos são fundamentais para diagnosticar inúmeros problemas. Há três tipos de radiografia que são cobertos pelos planos odontológicos, tais como:

  • radiografia periapical: que examina ossos, coroas e raízes dos dentes;
  • radiografia oclusal: que serve para acompanhar o nascimento e o crescimento dos dentes;
  • radiografia bite-wing: que observa o alinhamento entre as arcadas dentárias inferior e superior.

Além dessas alternativas, outro tipo de radiografia que normalmente é disponibilizado pelas coberturas é a radiografia panorâmica, que possibilita uma visualização mais ampla de todos os dentes da boca em uma única imagem.

Dentística

Todos os planos são obrigados por lei a cobrir tratamentos de dentísticas. Entre eles estão a aplicação de medicamentos que visam impedir o desenvolvimento da cárie; a remoção do tecido cariado e colocação da obturação; o ajuste oclusal e reconstrução de dentes que tenham sido de alguma forma comprometidos pelas cáries.

Periodontia

É a parte que cuida da saúde da gengiva. A ANS determina que sejam cobertas a imobilização dentária temporária ou definitiva, as raspagens e as gengivectomias. Algumas intervenções cirúrgicas também estão incluídas, como a retirada do dente siso.

Prevenção e saúde bucal

São as atividades que visam evitar problemas dentais e/ou são voltadas para a educação do beneficiário em relação à saúde bucal. Entre elas estão aplicação de flúor, de selantes, polimento coronário e evidenciação de placa bacteriana.

Restauração

Como o próprio nome diz, a restauração é um procedimento que recupera o dente que foi afetado pela cárie, fazendo com que retorne para a sua função normal. Quando o dentista realiza uma restauração, ele retira parte do dente que está danificada, limpa a área comprometida e, posteriormente, preenche a cavidade com um material apropriado.

Extração de dentes sisos

Na maioria dos casos, quando os sisos começam a nascer, causam muito incômodo. Assim sendo, é necessário retirá-los. Por ser um procedimento comum, faz parte da cobertura dos planos odontológicos.

 Endodontia

Também chamado de tratamento de canal, a endodontia é a área da odontologia que cuida da etiologia, ou seja, a origem dos problemas bucais. Por isso, a área compreende o diagnóstico, terapêutica e profilaxia das lesões e doenças que surgem na polpa e raiz dentária, bem como no tecido periapical.

Esse tratamento é feito na parte interna do dente. Para isso, faz-se a extração da polpa, denominada de tecido mole. Dependendo do caso, esse tecido pode estar infectado, inflamado ou morto. Depois da remoção, o endodontista finaliza com o preenchimento do canal com uma obturação, que funciona como uma placa que protege a abertura feita para que não ocorram outras infecções e bactérias, além de manter a estética e a funcionalidade do dente tratado.

Cirurgias

Mais do que as coberturas básicas determinadas pela ANS, existem planos odontológicos que oferecem tratamentos adicionais, como cirurgias para a remoção de dentes e raízes e eventuais correções ósseas.

O que um plano odontológico não cobre?

A composição dos serviços ofertados em um plano odontológico depende de operadora para operadora. Mas, de forma geral, a maioria dos planos não cobre procedimentos com função meramente estética.

Diante disso, é importante avaliar quais são as suas necessidades e, a partir daí, buscar um plano que disponibilize os tratamentos de que você necessita. Não se esqueça de verificar todas as condições do produto, o que inclui não só o detalhamento dos serviços cobertos, mas também do período de carência estipulado e de possíveis exclusões.

O que é cobertura regional?

Há também um outro tipo de cobertura, que é a abrangência do plano. Ela pode ser nacional, quando o beneficiário pode ser atendido em qualquer região do país, ou regional, quando se limita à área do seu domicílio.

A escolha desse tipo de cobertura deve ser feita levando em conta se o cliente costuma viajar e com que frequência, já que costuma aumentar um pouco o valor do plano.

Qual a relação entre cobertura e rede credenciada?

A cobertura do plano odontológico também tem a ver com a rede credenciada. Ela é formada por dentistas, cirurgiões-dentistas, clínicas especializadas e laboratórios parceiros do plano.

Como a cobertura varia em relação à regionalidade e às especialidades, é importante escolher um plano cuja rede credenciada fique próxima de sua casa ou trabalho. Assim você conta com mais facilidade para usufruir dos serviços sempre que necessário — inclusive para procedimentos preventivos.

Por outro lado, além da proximidade, é interessante confirmar se há especialistas determinados pela cobertura do plano. Por exemplo, de nada adianta contratar um plano odontológico que cubra ortodontia, se não há um especialista da rede credenciada na sua cidade.

No entanto, é sempre bom destacar que cada vez mais os planos odontológicos têm aumentado consideravelmente sua cobertura em relação ao rol da ANS. Por isso, pesquise bastante sobre a cobertura do plano odontológico e contrate uma opção que ofereça os diferenciais que mais agradam você. Assim, você garante a aquisição de um serviço de boa qualidade e que, de fato, contribua para a melhora da sua saúde e da qualidade de vida.

Aproveite e faça sua contratação agora mesmo! É só entrar em contato com a Bannet para conversar com um vendedor e conhecer as melhores opções disponíveis no mercado!

Entenda Qual é O Melhor Plano Odontológico Para VocêPowered by Rock Convert

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: