Ir para o conteúdo
Crianças Planos Odontológicos

Veja a importância de levar a criança no dentista

Leitura: 8 min
888 visualizações

Foi-se o tempo em que os pais achavam que não precisavam levar a criança no dentista ou ainda que a preocupação com a saúde bucal começava apenas depois da troca dos dentes de leite. Hoje a realidade mudou e a grande maioria deles sabe que precisa adotar cuidados que fazem toda diferença desde quando a criança nasce.

Se você ficou curioso e quer entender melhor sobre a importância de levar a criança no dentista e ainda em quais casos uma consulta é essencial, então está no lugar certo. Leia este artigo até o final e informe-se sobre o tema.

Afinal, quando levar a criança no dentista pela primeira vez?

Quando o assunto é levar os pequenos ao dentista, muitos pais ficam perdidos sobre quando é o momento ideal para uma primeira consulta. A verdade é que, como adiantamos, os cuidados com a saúde bucal devem ter início quando a criança nasce, então uma visita a um odontopediatra nos primeiros 6 meses de vida do bebê é muito importante.

Embora uma informação desse tipo assuste muitas pessoas, esse é um momento relevante para aprender a higienizar as gengivas e, em seguida, saber como lidar com o aparecimento dos primeiros dentes (que costuma acontecer mais ou menos com 6 meses). Acredite: isso faz toda diferença!

Quais são os outros momentos que merecem atenção?

Como existem diversas fases da dentição durante a infância, é fundamental destacar que as consultas periódicas ao dentista representam uma ótima forma de garantir uma boa orientação aos pais e, de quebra, familiarizar os pequenos com a prática.

Entenda a seguir um pouco melhor o que deve ser considerado em cada fase — e como uma consulta periódica é fundamental!

Até 1 ano — Bebê

O nascimento dos primeiros dentes costuma acontecer no primeiro ano do bebê — o que representa motivo de sobra para acompanhar com um profissional especializado. Ainda assim, como já adiantamos, os cuidados devem começar antes.

A higienização das gengivas dos recém-nascidos deve ser realizada com gaze ou fralda umedecida em água filtrada. Além de evitar possíveis problemas bucais, essa é uma maneira de tornar a prática comum para os pequenos (o que acaba facilitando a escovação alguns meses depois). Quando os primeiros dentes começarem a aparecer, então o uso da escova de cerdas macias e pasta dental (sem flúor) pode ser adotado.

O dentista também pode orientar e ajudar os pais a lidarem melhor com a situação, compartilhando dicas e práticas que amenizem o desconforto dos bebês. A partir dessa época, as visitas regulares devem ser adotadas e acontecer 2 vezes por ano.

De 2 a 3 anos — Criança

Esse é um período em que grande parte dos pequenos já apresenta 20 dentes na boca. Por isso, é importante adotar o hábito da escovação de forma regular para assim evitar qualquer tipo de desgaste — além as visitas periódicas ao dentista.

Alguns pais pensam que a prática pode ser desgastante para os filhos, mas a verdade é justamente o contrário. Adotar práticas para manter a saúde bucal em dia e levar a criança ao dentista faz com que ela se acostume com essa rotina, perca qualquer tipo de medo e previna diversos tipos de problemas.

6 anos — Criança

Esse é o período em que os primeiros dentes permanentes começam a nascer, ou seja, a troca de dentição acontece. Nesse momento, as visitas regulares ao dentista ajudam no acompanhamento de qualquer anormalidade no desenvolvimento.

Como estamos falando de um profissional especializado, ele consegue perceber dificuldades de oclusão, falta de alinhamento e outros problemas comuns dessa época.

13 anos — Fim da infância

Para fecharmos o ciclo completo de quando levar a criança no dentista, não poderíamos deixar de abordar o fim da infância. Nesse período, a criança já conta com todos os dentes permanentes (aproximadamente 32 dentes), o que representa a necessidade de uma atenção ainda maior — principalmente se considerarmos que essa dentição estará disponível pelo resto da vida.

É esperado que, nesse momento, ela já tenha um dentista de confiança que acompanhe as eventuais necessidades que surgirem. Além disso, ele também é o responsável por prevenir problemas maiores, como possíveis tratamentos de canal, cáries e outros desgastes.

Quais são os problemas mais comuns?

Quando o assunto é a importância de levar a criança no dentista, não dá para negar que existam alguns problemas dentais bem comuns nesse período da vida. Como você deve imaginar, eles podem impactar e comprometer a saúde bucal dos pequenos e, justamente por isso, merecem muita atenção. Conheça alguns deles abaixo.

Cárie

Os dentes de leite são sujeitos aos mesmos riscos que os permanentes, então é bom ficar de olho e evitar acúmulo de alimentos por meio de uma higienização completa. Essa é a melhor forma de preservar a boca do acúmulo de bactérias e o possível desenvolvimento de uma cárie.

Para quem não sabe, o processo de digestão das bactérias libera ácidos que destroem os minerais dos dentes. Para evitar uma situação desse tipo, lembre-se sempre de estimular a escovação depois de todas as refeições, especialmente antes de dormir. Ainda assim, caso o problema aconteça, o tratamento também pode ser feito por um profissional especializado.

Bruxismo

O bruxismo é o hábito de ranger ou apertar os dentes involuntariamente. Ele pode ser influenciado e motivado por diversas situações, inclusive o estresse emocional (que pode sim acometer as crianças). Essa situação merece atenção, pois pode desgastar os dentes e ocasionar problemas ainda maiores. A melhor forma de evitar isso tudo é com a ajuda do odontopediatra.

Desalinhamento dos dentes

O desalinhamento dos dentes costuma acontecer durante o nascimento dos dentes permanentes, mas existem outros fatores que podem influenciar. O uso de chupetas e mamadeiras, por exemplo, pode impactar o desenvolvimento ósseo e muscular da face (caso não seja usado no período recomendado).

O odontopediatra consegue acompanhar esses dois aspectos e assim evitar possíveis deformações. E tem mais: ele pode alertar sobre a higienização desses objetos, já que podem trazer consigo a contaminação por algumas bactérias.

Depois de entender um pouco melhor como levar a criança no dentista é mais significativo que muitas pessoas pensam, não abra mão desse cuidado com o seu filho. Acredite: faz toda diferença manter as visitas periódicas e assim preservar o seu pequeno de problemas maiores.

Para facilitar esse momento, uma alternativa é ter um plano familiar que ofereça o acompanhamento odontológico que ele vai precisar nesse período da vida. Para continuar se informando sobre essa possibilidade, leia o nosso artigo sobre os principais planos odontológicos do Brasil. Nos encontramos por lá!

SOBRE O AUTOR: Posts desse autor

blog-odonto-admin

Gostou do que leu? Veja todos as postagens desse autor AQUI

Recomendado para você:

Postagens mais vistas:

Faça um orçamento: