Ir para o conteúdo
Motivos Para Contratar Planos Odontológicos Saúde Bucal

Mitos e verdades sobre o canal dentário

Leitura: 13 min
5334 visualizações

Para muita gente, basta pensar em um tratamento de canal dentário para dar aquele friozinho no estômago, pois incomoda e você ainda fica com o dente dolorido. Mas será que é mesmo assim? Às vezes, fica difícil separar mitos e verdades — o que acaba afastando muita gente da cadeira do dentista.

Hoje, com a tecnologia utilizada nos consultórios, o procedimento de canal não é mais um bicho de sete cabeças. Muito pelo contrário, os dentistas do plano odontológico contam com o que há de melhor e mais moderno em equipamentos.

Por isso, vale a pena entender mais sobre o procedimento e ficar por dentro do que é verdade ou mito sobre o assunto. Você vai ver que o tratamento de canal dentário não precisa doer nem no dente, nem no bolso. Continue lendo este post e tire todas as suas dúvidas!

O que é o tratamento de canal dentário?

Basicamente, o tratamento do canal da raiz dentária é a retirada da polpa do dente, que é o tecido localizado na sua perna interna. Quando a polpa é danificada, infeccionada ou morta, precisa ser removida. O espaço resultante do procedimento tem que ser limpo, devidamente preparado e preenchido. Tal processo serve para vedar o canal.

Há alguns anos, os dentes que apresentavam polpas infeccionadas ou mortificadas eram extraídos. Nesse sentido, na atualidade, o tratamento de canal ajuda a salvar muitos dentes que antigamente tinham que ser removidos.

Como funciona o procedimento?

Quanto mais você conhece os processos de um tratamento de canal, mais o entende e menos medo sentirá ao realizá-lo. Essa intervenção é feita em três etapas:

  • acesso: primeiramente, o dentista abre o canal para iniciar o tratamento. Nessa etapa, o profissional usa o conhecido ‘’motorzinho’’;
  • remoção da polpa infeccionada: os canais danificados são esvaziados, limpos e depois alargados e alisados. Aqui, são usadas limas especiais e ferramentas para efetuar a irrigação;
  • obturação dos canais: para concluir o tratamento, os canais são preenchidos com o material específico, o que resulta no selamento. Dependendo do caso, o dente pode ser protegido com uma prótese parcial ou coroa.

Quando é necessário realizar o canal dentário?

A indicação do tratamento de canal é feita para os casos em que essa parte do dente está em estado avançado de destruição. Veja quando é preciso recorrer a esse procedimento:

  • quando a cárie acaba destruindo o esmalte e a dentina, chegando até a polpa do dente, que inflama e fica infeccionada e extremamente sensível, causando dor aguda;
  • se acontecer a degeneração avançada (morte da polpa). Nesse caso, não há dor, mas existe infecção e formação de lesão;
  • caso ocorra o trauma dental, dependendo do estágio do problema, a polpa pode entrar em colapso e morrer, alterando a cor do dente;
  • quando há uma fratura dental que deixa o nervo exposto;
  • quando o dente tem a sua estrutura destruída e precisa da colocação de um pino intracanal ou de uma prótese fixa.

Quais são os mitos e verdades sobre o canal dentário?

Se você precisa fazer esse tratamento, provavelmente já ouviu muitas questões sobre o tema, como “ser necessário esperar doer para tratar”. Mas será que isso é verdade? Esclareça os seus questionamentos!

É preciso esperar o dente doer para fazer o canal dentário

Mito. Quando chegar a doer, é sinal de que já há inflamação no canal dentário. Mas não é preciso esperar chegar a tanto. Quem mantém uma rotina de consultas a cada seis meses no dentista, muito provavelmente vai descobrir a necessidade de tratamento antes que a dor comece.

O tratamento deixa o dente mais escuro

Verdade. Isso acontece tanto pela técnica escolhida para fazer o tratamento do canal dentário quanto pela própria lesão no dente. No entanto, as chances de isso acontecer estão ficando cada vez menores, graças à tecnologia dos novos equipamentos combinada à microscopia operatória.

Tratamento de canal dentário “mata” o dente

Mito. Na verdade, o que “mata” o dente não é o tratamento, mas a lesão. A polpa do dente é a parte viva, formada por vasos e nervos dentro do dente. Ela pode ficar inflamada, infectada de forma irreversível ou ser morta pelas bactérias.

Por isso, ela precisa ser removida e os canais radiculares precisam ser limpos e preenchidos. Dessa forma, o dente retoma sua função normal. Assim, não é o tratamento, mas a lesão que “mata” o dente.

O dente tratado pode voltar a apresentar problema

Verdade. Se o dente não recebeu o tratamento adequado ou se passou por algum trauma, pode voltar a ter problema. Então, o tratamento de funciona como uma microcirurgia que procura reverter o quadro.

O dente fica mais frágil após o tratamento de canal dentário

Verdade. O tratamento de canal remove a polpa, reduzindo a hidratação do dente, o que o torna mais suscetível a fratura. Por outro lado, quando um dente tem um ou mais canais tratados, ele já perdeu sua estrutura original.

Isso acontece também por conta de antigos tratamentos de cáries, cáries ativas ou desgaste nos acessos aos canais. No entanto, isso tem solução. Antes de tudo, é preciso que o tratamento de canal só seja feito por um especialista. Dessa forma, é possível evitar desgaste desnecessário.

Além disso, a resistência do dente pode ser devolvida por meio da cimentação de pinos de fibra de vidro nas raízes. Quando a destruição é muito grande, pode ser necessária a colocação de uma coroa estética. Assim, o dente fica totalmente restaurado.

Tratamento de canal é longo e demorado

Mito. O tratamento não precisa demorar horas nem ser feito em várias sessões, dependendo da complexidade da lesão, é claro. Entretanto, de forma geral, com a tecnologia dos novos equipamentos, como instrumentos rotatórios, microscópio, ultrassom e localizadores foraminais, a média de tempo é de uma ou duas sessões.

O tratamento é variável

Verdade. Conforme foi dito, o tratamento de canal não é demorado, mas sua duração depende da complexidade do caso, logo, é variável. O seu tempo de execução vai depender do estado do dente do paciente e do dentista responsável pelo procedimento.

São necessárias várias consultas

Depende. No passado isso era verdade, pois o dentista tinha que abrir o dente e fazer o tratamento do canal e o realizava em várias sessões, tendo que trocar de curativo diversas vezes. Com o uso das técnicas atuais, a intervenção pode ser feita em uma única consulta ou necessitar de três consultas para ser finalizada, dependendo de cada caso.

O que vai definir o número de consultas necessárias são a extensão da infecção e a dificuldade na preparação do canal radicular. Mas vale ressaltar que os tratamentos que precisam de mais de três consultas são raros, atualmente.

Não é necessário pesquisar sobre a qualidade do dentista

Mito. Contar com um dentista bem capacitado para executar esse procedimento é essencial para garantir que ele seja feito corretamente, evitando problemas posteriormente.

É possível tratar canal em dentes de leite

Verdade. Em muitos casos, o tratamento de canal pode ser realizado em dentes de leite para prevenir problemas nos dentes permanentes. Porém, o dentista deve atentar para o período de queda dos dentes de leite, de modo a evitar tratamentos considerados desnecessários.

Deve-se dizer que o tratamento não impede que o dente de leite caia quando o paciente trocar a dentição nem traz algum tipo de sequelas para os dentes que ainda vão nascer.

O tratamento de canal é sempre o mais indicado para resolver a dor de dente

Mito. Embora a polpa do seu dente possa estar infeccionando, ela pode continuar sem doer. Diante disso, entende-se que a dor não é necessariamente um sintoma exclusivo do canal dentário. É óbvio que isso sinaliza que existe um problema, mas para descobrir o que é, você precisa se consultar com um dentista para ter o diagnóstico adequado.

Quais as melhores dicas para prevenir problemas no canal dentário?

A melhor forma de evitar a dor e a necessidade de fazer um tratamento de canal é investindo na prevenção. Descubra como isso é possível.

Restaure cáries

Sabe aquela cárie que apareceu no seu dente e você está adiando o tratamento? Procure o seu dentista o quanto antes e faça a restauração da cárie. Ao remover a razão da inflamação, que muitas vezes é gerada pela cárie dentária, e restaurar a coroa, o quadro não evolui, dispensando o tratamento de canal.

Evite traumas nos dentes

Como já vimos, o trauma no dente pode exigir o tratamento do canal dentário. Por isso, tome cuidado para não bater os dentes a ponto de comprometer a polpa dentária. A dica é válida principalmente para crianças e adolescentes que costumam praticar esportes.

Visite o seu dentista regularmente

A melhor e mais simples dica de todas é visitar o seu dentista regularmente. O ideal é ir ao consultório a cada seis meses. Desse modo, o profissional poderá identificar eventuais problemas bucais antecipadamente, evitando que atinjam o canal dentário.

Quais cuidados são necessários após o tratamento de canal?

Após a realização do tratamento do canal, é preciso tomar alguns cuidados para não prejudicar a eficiência do procedimento. São eles:

  • não comer alimentos duros nas duas primeiras semanas, o que ajuda a deixar o dente em repouso e evita fraturas;
  • manter a higiene bucal com escovação diária e uso do fio dental para que infecções não atinjam o local tratado;
  • utilizar a medicação prescrita pelo seu dentista, como analgésicos para minimizar a dor.

Quais os problemas que podem ser causados pela falta de tratamento no canal dentário?

Deixar de fazer esse tratamento pode trazer diversas consequências ruins, agravando ainda mais o problema. Se você já está sentido dor, a tendência é que sinta ainda mais. Quando existe uma infecção no canal radicular, ela pode atingir a região periapical, trazendo patologias perirradiculares.

Além disso, o paciente pode sofrer com apatia, febre e doenças mais sérias, como Angina de Ludwig — uma infecção bacteriana que afeta a boca e a garganta, gerando um inchaço de grandes proporções, o que pode bloquear as vias respiratórias.

Como escolher o dentista certo para esse procedimento?

A avaliação dos profissionais disponíveis no mercado é a melhor forma de selecionar o mais capacitado. Para tanto, busque o máximo de informações que puder, não só com pessoas próximas, mas também na internet, analisando quais são as especialidades do dentista e a forma como ele faz esse procedimento.

Melhor do que dar ouvidos aos mitos é ir regularmente ao dentista. O trabalho preventivo é a forma mais eficaz de evitar problemas, por meio de um diagnóstico precoce. Mas, se for necessário, não pense no tratamento de canal dentário como uma condenação. Ele costuma ser a melhor solução para preservar o dente, mesmo que sem a polpa.

Gostou deste post? Compartilhe-o nas redes sociais e ajude os seus amigos a perderem o medo de fazer o tratamento de canal!

Recomendado para você:

Postagens mais vistas: